Comandos Linux: Dominando o comando TOP

O comando top no Linux exibe os processos em execução no sistema. Uma das ferramentas mais importantes para um administrador do sistema. É amplamente utilizado para monitorar a carga do sistema. Nesse artigo é explorado o comando top em detalhes, pois ele é um comando interativo; ou seja, muitos outros comandos estão disponíveis quando ele está executando. Sendo assim, domine o comando top!

I – SAÍDA DO COMANDO TOP

top

Primeiramente, é preciso entender a saída do comando (mostrada acima). Ela exibe uma série de informações sobre o sistema em funcionamento. Então, é preciso ficar ciente das seções mostradas:

1 – Tempo de atividade e média de carga do sistema (Uptime and Load Averages)

Na parte superior do comando top é apresentada a saída similar ao comando uptime.

* O tempo atual
* O tempo que seu sistema está funcionando
* Número de usuários autenticados no sistema no momento
* Média de carga de 5, 10 e 15 minutos respectivamente.

2 – Tarefas (Tasks)

A segunda linha mostra resumo das tarefas ou processos. Os processos podem ser em diferentes estados. Ela mostra o número total de processos. Destes, os processos podem estar executando (running), dormindo (sleeping), parado (stopped) ou modo zumbi (zombie)

3 – Estados da CPU (CPU States)

Em seguida é apresentado o estado da CPU. O significado dos diferentes tempos de CPU são:

* us, usuário (user): tempo de CPU na execução dos processos de usuário
* Sy, sistema (sytem): tempo de CPU na execução de processos do kernel
* Id, ocioso (idle): tempo de CPU em inatividade

* Wa, tempo para I/O: tempo de CPU esperando a conclusão de operação de entrada/saída no disco (I/O)
* hi: CPU tempo servindo interrupções de hardware
* Si: tempo de CPU servindo interrupções de software

4 – Uso da memória (Memory Usage)

Estes mostram o uso de memória, um pouco do comando “free”. A primeira linha refere-se a memória física e a segunda linha a memória virtual (swap). A memória física é apresentada como: memória total disponível, memória usada, memória livre e memória usada para buffers. Da mesma forma, a swap: total, usada, espaço de troca livre e em cache. Todas em unidade Kilobyte

5 – Colunas

Nesta seção, os processos são apresentados em colunas. As diferentes colunas representam diferentes propriedades exibidas abaixo:

PID (Identificador do processo)
A identificação do processo (identificador único)

USUÁRIO (USER)
Usuário proprietário do processo.

PR (Prioridade)
A prioridade de agendamento do processo. Alguns valores neste campo são ‘ RT ‘ . Isso significa que o processo está sendo executado em tempo real (Real Time).

NI
Os valores mais baixos significam maior prioridade.

VIRT
A quantidade de memória virtual usada pelo processo.

RES
O tamanho da memória usada. Residente na memória física e não na área de troca (swap).

SHR (Share – compartilhada)
SHR é a memória compartilhada usada pelo processo.

S (State – estado)
Este é o estado do processo . Ele pode ter um dos seguintes valores :

D – ininterrupto

R – executando
S – dormindo
T – rastreado ou parado
Z – zumbi

% CPU
É a porcentagem de tempo de CPU que a tarefa tem usado desde a última atualização.

% MEM
Percentagem de memória física disponível usada pelo processo.

TEMPO +
O tempo total de CPU que a tarefa tem usado desde o início (precisão de centésimo de segundo)

COMANDO
Descrição do comando que foi utilizado para iniciar o processo.

II – OPÇÕES DO COMANDO

1 – Resultado enxuto

top -b

2 – Tempo de atualização (a cada 2 segundos)

top -d 2

3 – Somente processos executando

top -i

4 – Limite de iteração

top -n 3

5 – Especificando o usuário

top -u “nome_usuario”

III – COMANDOS INTERATIVOS

Esses comandos serão usados durante a execução do comando TOP.

1 – ‘h’: Help

2 – ‘ENTER’: Atualizar a amostragem

3 – ‘d’: Informe o tempo de atualização

4 – ‘f’: Controle quais valores devem ser exibidos

5 – ‘i’: Apenas processos em execução

6 – ‘k’: Matar processos pelo identificador (ID)

Ricardo Ferreira

Ricardo Ferreira

Fundador do Linux Descomplicado - LD.

Sempre em busca de novos conhecimentos, preza por conteúdo de qualidade e auto-explicativo. Por isso, persiste em criar um site com artigos relevantes para todos os leitores do Linux Descomplicado!
Ricardo Ferreira

Comentários

comentários

Desenvolvedor ou Sysadmin? Leia isso...

Docker é uma plataforma para desenvolvimento, provisionamento e execução de aplicações usando tecnologia de containers.

Se você é um desenvolvedor ou sysadmin você poderá ter diversas vantagens usando a plataforma Docker:
  • Desenvolve uma vez...executa em qualquer lugar;
  • Sem preocupações (dependências e/ou pacotes)... foco no desenvolvimento;
  • Elimina inconsistências na entrega das aplicações e/ou serviços;;
  • Evita o “localhost funciona”;
  • Promove uma infraestrutura escalável;

Conheça o Curso Docker - Introdução a administração de containers. Ele é introdutório a plataforma Docker e lhe dará melhor compreensão sobre as vantagens da ferramenta.


Inscreva-se agora (50% OFF) »

VOCÊ TAMBÉM PODERÁ LER...

  • Slim Comar

    legal!!

  • Robson Pedroso

    Excelente post, muito útil para o dia a dia. Obrigado!

  • Vitor Godoy

    é possível colocar em um script o uso da CPU em uma condição(if..). por exemplo: se atingir tal quantidade de memoria aparece uma mensagem no terminal?? obrigado.