5 distribuições Linux orientadas a Internet das coisas (IoT)

IoT-Linux

A Internet das Coisas (“Internet of Things” – IoT) é uma tendência tecnológica que pretende interconectar todos os objetos presentes no nosso cotidiano, bem como eletrodomésticos, meios de transporte e até mesmo roupas, a rede de dados. Hoje em dia existem já várias plataformas que suportam essa tecnologia. Sendo assim, o universo Linux não pode ficar de fora; segue lista com 5 distribuições Linux orientadas a Internet das coisas (IoT).

Contextualizando

Primeiramente, a Internet das coisas tem como premissa permitir que todo e qualquer dispositivo possa se conectar a internet. Mas, para que isso seja possível é preciso garantir algumas condições; que são:

Processamento:

É importante que os processadores sejam de pequeno e baixo consumo. Assim, séries como: AMR Cortex-A/R/M e Intel com a sua recente série Quark  atendem a esses requisitos.

Sensores:

São dispositivos que permitem que o processador “conheça” o ambiente. Por exemplo, localização GPS, temperatura, altitude, luz ambiente, etc …

Economia de baixo consumo:

Tradicionalmente, a comunicação dos dados é feita via Ethernet, WiFi ou comunicação 3G/4G. Contudo, o objetivo é que a tecnologia de comunicação a ser utilizada seja de baixo consumo e possa chegar em lugares mais longínquos possíveis 😉 Assim, tecnologias como: Bluetooth 4.0, NFC, RFID e tecnologias emergentes como ZigBee, Z-Wave, 6LoWPAN são bastante utilizadas.

Assim, segue lista com 5 distribuições Linux orientadas a Internet das coisas (IoT)

RIOT-OS

Plataforma baseada em Linux que roda em 8-bits, 16-bits ou 32-bits. Com suporte a linguagem C e C ++. Possui eficiência energética, suporte a TCP/IP e 6LoWPAN. Pode ser executado em várias plataformas, incluindo dispositivos embarcados, bem como PCs comuns. Ele suporta vários drivers. Disponível na licença LGPL.

Ubuntu Core

É a aposta da Canonical para a Internet das coisas. É uma versão reduzida do Ubuntu orientada serviço de nuvem e personalização de dispositivos embarcados suportados pelos fabricantes. Exigindo apenas 128 MB de memória RAM e um processador de 600 Mhz, o Snappy Ubuntu Core é projetado para sistemas para os quais a versão Desktop do Ubuntu e até mesmo o Ubuntu Server seriam pesados demais.

Contiki

Contiki é um sistema operacional, de código aberto, para a Internet das Coisas. É destinado a pequenos dispositivos, possui suporte a TCP/IP e é multitarefa.

Brillo

Aposta da Google para a internet das coisas, com base no desenvolvimento do Android. O projeto foi anunciado no Google I/O, esse ano (2015).

Ubos

Ubos (You-boss) é uma distro Linux cujo objetivo é disponibilizar facilmente aplicações/serviços. A grande diferença entre esta distribuição e outras é o fato de esta simplificar todo o processo de instalação de software. Pode ser executado via VirtualBox ou simplesmente instalado no PC. Baseado no Arch Linux.


Via Fonte

Ricardo Ferreira

Ricardo Ferreira

Fundador do Linux Descomplicado - LD.

Sempre em busca de novos conhecimentos, preza por conteúdo de qualidade e auto-explicativo. Por isso, persiste em criar um site com artigos relevantes para todos os leitores do Linux Descomplicado!
Ricardo Ferreira

Comentários

comentários


VOCÊ TAMBÉM PODERÁ LER...

  • Na boa, opinião pessoal… eu não gostaria de ver internet em tudo, não. A sensação, se não efetivamente, seria de escravidão em relação à “Rede” (ou aos gigantes concentradores de dados pessoais). Vem uma parcela dos usuários aí resistindo ao Big Brother para deiminuir a dependência endêmica em relação à internet, e ainda tem gente entusiasmada para entregar sua privacidade de bandeja… Foca!

  • Caio Pereira

    Não entendi quando você disse que são 5 distribuições Linux, sendo que o Contiki e o Riot são RTOS .
    O Brillo é baseado no kernel Linux mas usa a estrutura do Android (Tá tudo bem, pode ser encaixado como Linux), mas nesse caso teríamos apenas 2 distros….