Você já tinha pensado sobre isso? Além de se questionar à respeito, um grupo de pesquisadores da universidade de Oslo resolveu pesquisar qual a relação entre o alcance da pirataria de software em um país e a participação do Linux nos desktops dos usuários desse mesmo país. Quando nos referimos a pirataria de software, o que vem logo à mente é a pirataria em massa do sistema MS Windows. Sendo assim, a pergunta que fica é: a adoção do Linux aumentaria, caso não fosse possível piratear o Windows (ou outro sistema operacional)?

Contextualizando

É conhecido que o GNU/Linux domina no segmento dos super computadores e é muito usado em servidor; mas no universo dos desktops a parcela de usuários é menor – vem aumentando, contudo é ainda é baixa comparada a outros SO’s.

A pirataria é uma das razões por que o Windows tem sido capaz de manter a sua posição dominante no mercado. Tanto que, é sabido por todos, o MS Windows é o software mais pirateado no mundo.

Mas, o que não sabe (ou sabia) é que, além de ferir o modelo de negócio da Microsoft, essa pesquisa concluiu que a adoção do Linux está sendo prejudicada também 🙁 Pois, mostram que a pirataria de software diminui significativamente a adoção de distribuições Linux (universo desktop).

A Pesquisa – “Software Piracy and Linux Adoption”

Artigo “SOFTWARE PIRACY AND LINUX ADOPTION”

A pesquisa, intitulada “Software Piracy and Linux Adoption”, foi feita por Arne Rogde Gramstad – Universidade de Oslo. Em resumo, ele buscou fazer uma relação de dados da Net Applications, da BSA, do FMI e do Fórum Econômico Mundial, recolhidos em 2012 em 104 países, para identificar qual a relação entre a intensidade da pirataria de software em um país e a participação do Linux nos desktops dos usuários desse mesmo país.

Isso resulta em um modelo que prevê que mais pessoas iriam usar Linux, se a pirataria de software, em geral, fosse menos intensa em um país. “Um aumento, na taxa de pirataria, de 1% num país deverá reduzir a participação do usuário de Linux em cerca de 0,5%. Embora haja algum nível de incerteza na estimativa exata, a direção é negativa com um alto nível de certeza estatística”, explica o autor da pesquisa ao site TorrentFreak.

Assim, conforme pesquisado, a taxa de pirataria do software varia entre 42% e 90%( dependendo do país e do nível de desenvolvimento do mesmo). Então, foi possível concluir que: caso não houvesse pirataria de sistemas, a quota de mercado/taxa de adoção do GNU/Linux estaria situada entre os 20% e 40% – logo a pirataria de softwares afeta, negativamente, a adoção do Linux em desktops.

Publicidade

Via | News Softpedia.com | BR-Linux | TorrentFreak | Pplware

Qual a sua opinião sobre o tema?